Restaurantes: Os novatos da cidade

Entre uma andança e outra, três restaurantes chamaram nossa atenção e agora aparecem nas páginas do Guia. Saiba mais sobre eles e programe sua visita

Postado em : 14/05/2015 16h16 Em:

Para alegria de empreendedores e consumidores, o mercado gastronômico de Fortaleza segue aquecido. Da invasão dos food trucks aos novos eventos, passando pela criação de cursos e graduações, a demanda sempre parece suficiente para o crescimento do setor.

Nesse contexto, não falta espaço para novos restaurantes. Hoje o Guia traz três deles, que chamam atenção tanto pelo pouco tempo de funcionamento – seis meses, em média – quanto pelas propostas bem pessoais.

O primeiro conquista logo pelo espaço – com um bonito jardim em contraste ao prédio de concreto, de fachada clean e paredes de vidro –, assinado pelo arquiteto Tiago Falcão. Localizado no Cocó, o Pipo fica meio “escondido” numa rua pouco movimentada, o que aumenta a impressão de “grande achado”.

carne
Aos oito anos, o empresário Pedro Gurjão já sonhava em abrir um restaurante. O porquê, nem ele sabia ao certo. Para não esquecer a ideia, o pequeno Pipo – apelido dado pela irmã –, desenhou uma espécie de quadrado de vidro e escreveu algumas anotações para o futuro, sobre como as coisas deveriam ser. Há pouco mais de cinco meses, o sonho tornou-se realidade. Para concretizar o restaurante, Pedro afirma ter pesquisado durante 15 anos pratos típicos de diversas cozinhas internacionais, como a tailandesa, vietnamita e inglesa. Com o cardápio em mente, foram necessário outros dois anos para adaptar o terreno à estrutura.
Na inauguração, em sistema de soft opening, Pedro chamou os amigos para degustarem os pratos. “Depois disso, alguns clientes foram aparecendo. Quando percebi, havia uma fila de 100 pessoas e eu ainda não tinha sequer montado minha equipe de cozinha”, relembra.

Mistura
No cardápio, pratos da cozinha italiana são pensados sob a perspectiva brasileira. “Na Itália, não costumamos comer massa acompanhada de carne. Por aqui, aprendi que vocês gostam de fazer essa mistura”, ilustra Maurizio Pocoli, chef veneziano que está há sete anos no País e assina as receitas do restaurante.

Exemplos dessa ponte entre os dois países são o nhoque de ricota ao sugo (R$38), o filé suíno com maçã (R$38), o polvo grelhado com batatas no alecrim (R$88), o camarão com tagliatelle e abobrinha (R$68) e o filé de cioba com risoto de mel e parmesão (R$68).

O restaurante também incluiu no cardápio opções rápidas e práticas para quem busca almoçar num ambiente sofisticado. “Queríamos oferecer coisas bem típicas daqui, como o arroz e a farofa, além de carnes”, explica Maurizio. Uma dessas opções é curry vermelho de frango com arroz (R$28), prato com dois pedaços macios de sobrecoxas que casam muito bem com o molho de inspiração tailandesa, principalmente por seu sabor adocicado e picante. Já o filé suíno com farofa e feijão verde (R$32) veio bem crocante por fora e suculento por dentro, ficando ainda mais delicioso com farofa bem temperada e acompanhada de feijão verde. Uma das melhores pedidas.

O curry vermelho também vai sobre o filé de Chacarona (R$32), dessa vez bem mais picante e menos adocicado do que no frango. No jantar, o local tem música ao vivo, com programação organizada pelo maestro Gladson Carvalho, da Orquestra Filarmônica do Ceará. O Pipo também funciona como uma galeria, com curadoria de Newton Whitehurst. Todas as obras estão à venda.

Busca Estabelecimentos

digite os campos abaixo para fazer uma busca refinada em nossos estabelecimentos: