Um mês de festas

Postado em : 01/12/2017 10h10 Em:

Chef Silvia Vasconcelos prepara uma série de produtos especiais para o fim do ano. Foto: Divulgação

Chef Silvia Vasconcelos prepara uma série de
produtos especiais para o fim do ano. Foto: Divulgação

 

Chegamos ao primeiro dia de dezembro, um mês importante e cheio de significados. A gastronomia é um dos itens obrigatórios neste mês abençoado, a mesa farta faz parte! E foi pensando nisso que convidamos uma chef bem especial para estar nas páginas do querido caderno Sabor. A bela Chef Silvia Vasconcelos, da famosa Doce Gula, atendeu nosso convite e nos presenteia com informações que farão vocês ficarem com água na boca.

O clima na cidade muda. A Praça Portugal, com sua linda árvore natalina, nos encanta e traz paz aos corações, que emana do aniversariante do mês, que deve ser lembrado por todos, já que é o centro das festividades. Jesus nasceu e trouxe consigo a esperança da salvação e a oportunidade de sermos melhores seres humanos.

Os demais símbolos natalinos, como o bom velhinho, que em seu trenó percorre o mundo deixando presentes para aquelas crianças que se comportaram durante o ano, são lendas para alegrar as crianças e trazer um clima lúdico e gostoso. Para os prestadores de serviços na área da gastronomia, este é um período de muito trabalho, intensificado pela alta demanda. E a Doce Gula não fica de fora desse frisson das festas de fim de ano. Nesta época, há um aumento considerável nos clientes das lojas e muita procura para a realização de eventos e confraternizações. É preciso aumentar a equipe com novas contratações e estabelecer uma metodologia ágil e produtiva. A meta é produzir mais, sem perder a qualidade e o toque refinado, que é a marca da Doce Gula.

Tortas, salgados especiais, doces e a Taça da Felicidade estão entre os destaques do menu. Fotos: LC Moreira

Tortas, salgados especiais, doces e a Taça da Felicidade estão entre os destaques do menu. Fotos: LC Moreira

 

As palavras da chef Silvia Vasconcelos são encantadoras: “lembro com saudade dos bons e simples Natais da infância, à espera do Papai Noel e dos presentes. Depois que eu cresci e a Doce Gula entrou na minha vida, o Natal se tornou desafiador e exaustivo, mas não menos gratificante. Sei que no dia 25 de dezembro estarei sempre muito cansada, mas cercada pelo carinho da família e dos amigos, com a certeza de que cumprimos o nosso objetivo e alcançamos o nosso melhor”.

Segundo a literatura, a ceia de Natal começou no antigo costume europeu de deixar as portas das casas abertas no dia de Natal para receber viajantes e peregrinos, que se confraternizavam regados a muita comida e bebida. Essa tradição foi se espalhando mundo afora e cada região acrescentou a sua particularidade.

Os alimentos que hoje fazem parte da ceia brasileira têm diversas origens. O peru assado, por exemplo, é uma herança dos índios da América do Norte, enquanto que a rabanada e o bolinho de bacalhau vieram dos portugueses. A criatividade da culinária brasileira, porém, foi além do tradicional peru de Natal. Ela é composta de pratos e receitas com pernil, tender e o chester, além do salpicão de frango e receitas com o bacalhau. O salpicão da Doce Gula é deliciosamente especial. Ressalta Silvia: “a procura é muito grande e ele realmente supera as expectativas a cada ano. O arroz e a farofa não podem faltar, e ganharam ingredientes especiais, como uvas passas, bacon, nozes e castanhas. Aliás, tenho uma receitinha de farofa da minha tia que faz o maior sucesso”.

Tortas salgadas e quiches encantam os paladares mais requintados. Saladas com frutas variadas trazem cor à mesa. As sobremesas, como sempre, são um charme especial nesta celebração. Você pode escolher entre pudins, pavês, tortas e bolos confeitados, mousses, panetones e a tradicional rabanada. A sobremesa mais solicitada na Doce Gula é a Taça da Felicidade, considerada um manjar dos deuses.

É mesmo muita tentação, e fica quase impossível não “exagerar” à mesa. Mas, se até o Papai Noel saiu das medidas e está tudo bem com ele, porque nós, pobres mortais, não podemos desfrutar dessas delícias, sem culpa e sem medo, não é mesmo?

É Natal, aproveite! Ainda nos dizeres da chef, “o Natal é mágico. Ele desperta a nossa criança e nos inspira a sermos fraternos e mais humanos, a nos doarmos de alguma maneira, sendo por meio de presentes ou por atos de caridade. Cabe a nós estendermos a magia do espírito de Natal em nossas vidas”.

A Doce Gula nos presenteia com um cardápio de “lamber os beiços”. Faça sua encomenda, visite as lojas, que além de tudo estão lindamente decoradas pela Chef Silvia Vasconcelos.

Mas não se esqueçam do aniversariante. O Menino Deus vem para nos trazer o maior sentimento da humanidade, o amor!

Serviço
Doce Gula Confeitaria
Av. Oliveira Paiva, 1580 – Cidade dos Funcionários.
Telefones: (85) 3271.2030/3271.2680
Rua Leonardo Mota, 1500 – Aldeota. Telefone: (85) 3224.6616

Leo Gondim
Colunista

Busca Estabelecimentos

digite os campos abaixo para fazer uma busca refinada em nossos estabelecimentos: